quinta-feira, 16 de novembro de 2017

Hoje é Dia de Clássico Bebê: Um Estranho no Ninho

                                               Ficha Técnica:

Título Original: One Flew Over the Cuckoo's Nest
Ano: 1975
Direção: Milos Forman
Gênero: Drama
Elenco: Jack Nicholson, Louise Fletcher, William Redfield, Danny DeVito, Philip Roth

                  Falar sobre transtornos psiquiátricos sempre foi um tabu. O diretor Milos Forman conseguiu tratar o tema de uma forma quase poética. Tanto que o longa foi premiado com cinco Oscars: Melhor Filme, Melhor Diretor, Melhor Ator (Jack Nicholson), Melhor Atriz (Louise Fletcher) e Melhor Roteiro Adaptado. O filme é uma adaptação do livro One Flew Over the Cuckoo's Nest, de Ken Kesey.
              O filme conta a história de Randall Patrick McMurphy (Nicholson), um malandro que se finge de louco para escapar da prisão, e acaba então sendo internado em uma instituição psiquiátrica. O que ele não contava é que sua estadia não teria tempo determinado...Ele logo começa a influenciar os pacientes, mas encontra uma ferrenha opositora, a enfermeira Mildred Ratched (Fletcher).
             O filme traz personagens muito peculiares, como um índio mudo, um ciumento possessivo incurável, um rapaz jovem mas extremamente inseguro, e no final acabamos vendo que todos temos nossas esquisitices. E como viver no "mundo real" pode ser muito difícil para algumas pessoas. Mostra também a questão do poder e controle, que no filme é disputado por McMurphy e Mildred.
              Uma das melhores, senão a melhor atuação de Jack Nicholson, ele é um personagem que cativa o público de qualquer forma, sua obstinação e rebeldia são um espetáculo a parte do filme. Louise Fletcher também é excelente como a megera enfermeira que só se preocupa com as regras e não com as pessoas em questão.
              Apesar do filme ter mais de quarenta anos, ainda assim consegue se mostrar atual, e é uma história para ver, rever, rir e se emocionar. Vale muito a pena.

domingo, 12 de novembro de 2017

Talento em Foco: Natalie Portman

                Ela é sem dúvida uma das melhores atrizes desta geração. Começou atuar ainda criança, e tem uma carreira consolidada no cinema. Além do enorme talento, tem uma beleza clássica, podendo interpretar da boa moça à femme fatale, passando pela muda do super herói Thor. O talento em foco vem falar de Natalie Portmann.
                 Seu nome na verdade é Neta-Lee Hershlag,e ela nasceu em Jerusalém, Israel em 09 de junho de 1981. Se mudou com a família para os Estados Unidos aos três anos. Aos dez anos foi convidada para ser modelo, mas recusou, pois já sabia que queria ser atriz. Aos doze anos interpretou seu primeiro papel no cinema, como Mathilda no filme O Profissional, protagonizado por Jean Reno. No filme, ela vive uma garota que tem sua família assassinada e ela passa a viver com um assassino profissional que não vê sentido em sua vida, ela então quer seguir o passos de seu salvador.
               Com uma performance digna de gente grande, sua atuação chamou a atenção de muitos diretores e os papéis foram aparecendo. Sua adolescência foi diante das câmeras. Mas sua carreira teve um grande avanço quando conseguiu o papel de Padmé Amidala na trilogia de Star Wars. Ela é uma de minhas atrizes favoritas, e apesar da pouca idade tem um currículo extenso e ótimos papéis, então vou citar meus favoritos.
               Primeiro como Alice no filme Closer-Perto Demais, no início ela parece ser a personagem mais simples, mas ao longo do desenvolvimento da trama vemos que na verdade ela é a mais complexa e misteriosa. Foi indicada ao Oscar de Melhor Atriz Coadjuvante.O longa traz ainda Julia Roberts, Clive Owen e Jude Law no elenco.
                  Em 2005 ela interpreta dois papéis Inés/Alicia no excelente drama Sombras de Goya, em que interpreta uma judia que é presa e torturada pela inquisição espanhola. Abusada no cárcere, ela dá a luz a uma filha. Evey Hammond do longa V de Vingança também é um de seus papéis que merece destaque. Sua personagem se envolve em uma trama de revolução em um cenário futurista, onde ela é guiada pelo mascarado V.
                 Deu vida com maestria a Ana Bolena, no filme A Outra. Sua Ana era cruel, maquiavélica, manipuladora e no fim, desequilibrada. O filme tem Scarlet Johansson e Eric Bana como sua irmã Mary e o rei Henrique VIII.
                Em 2011 interpreta a bailarina perfeccionista Nina em Cisne Negro, que vive com sua mãe superprotetora e controladora. Sua obsessão a se tornar a primeira bailarina na montagem de O Lago dos Cisnes a leva a cometer atrocidades....ou não? Uma personagem tão complexa quanto o próprio filme de Darren Aronofsky lhe rendeu o Oscar de Melhor Atriz. Em 2016 interpreta Jacqueline Kennedy no longa Jackie, onde narra concede uma entrevista a um jornalista logo após os eventos da morte de John F. Kennedy. Uma grande atriz, que provavelmente ainda nos trará muitas atuações memoráveis!
           
                  Filmografia:

  • O Profissional (1994)
  • Fogo Contra Fogo (1995)
  • Todos Dizem Eu Te Amo (1996)
  • Marte Ataca! (1996)
  • Brincando de Seduzir (1996)
  • Star Wars: Episódio 1- A Ameaça Fantasma (1999)
  • Em Qualquer Outro Lugar (1999)
  • Onde Mora o Coração (2000)
  • Zoolander (2001)
  • Star Wars: Episódio 2- Ataque dos Clones (2002)
  • Cold Mountain (2003)
  • Hora de Voltar (2004)
  • Closer- Perto Demais (2004)
  • Star Wars: Episódio 3- A Vingança dos Sith (2005)
  • Sombras de Goya (2005)
  • Free Zone (2005)
  • V de Vingança (2006)
  • Paris, Te Amo (2006)
  • Um Beijo Roubado (2007)
  • A Loja Mágica de Brinquedos (2007)
  • Nova York, Eu Te Amo - atriz e roteirista (2008)
  • A Outra (2008)
  • Entre Irmãos (2009)
  • Juventude em Fúria (2010)
  • Eu Ainda Estou Aqui (2010)
  • Thor (2011)
  • Sua Alteza? (2011)
  • Sexo Sem Compromisso (2011)
  • Cisne Negro (2011)
  • Thor: O Mundo Sombrio (2013)
  • Em Busca da Justiça (2015)
  • De Amor e Trevas- atriz e roteirista (2015)
  • Cavaleiro de Copas (2015)
  • Jackie (2016)
  • Além da Ilusão (2016)
  • De Canção em Canção (2017)

quarta-feira, 1 de novembro de 2017

Boy Magia da Semana: Aaron Taylor-Johnson

                  Ele se destacou fazendo um herói adolescente atrapalhado, mas cresceu e se tornou um belíssimo homem, além de um ótimo ator. O Boy Magia traz os cachinhos e a cara de anjo sedutor de Aaron Taylor-Johnson.
                  Aaron Perry Taylor-Johnson, nasceu em 13 de junho de 1990, em High Wycombe, na Inglaterra. Ele começou sua carreira de ator ainda criança. Participou do filme Bater ou Correr em Londres, em 2003. No filme O Ilusionista, estrelado por Edward Norton em 2006, ele fez a versão jovem do mesmo. Atuou na comédia romântica Gatos, Fios Dentais e Amassos.
                  Em 2009 ele interpretou a lenda John Lennon, no longa O Garoto de Liverpool, dirigido por Sam Taylor-Wood, com a qual se casou no mesmo ano. Recebeu algumas indicações por este filme e ganhou o Empire Awards. Em 2010 atua ao lado da excelente Glenn Close, no filme Albert Nobbs. Nesse ano também protagoniza a aventura Kick-Ass, e novamente recebeu várias indicações.
                 Em 2012 é um dos protagonistas na aventura super violenta de Oliver Stones Selvagens, ao lado de Blake Lively e John Travolta. Em 2012 vive também o Conde Vronski,que destrói o casamento e a reputação da protagonista, em uma nova versão de Anna Karenina, interpretada por Keira Knightley. Ele consegue ser frio e sedutor, uma combinação muito perigosa!! No ano seguinte repete seu papel em Kick-Ass 2.
                  Em 2014 vive outro super herói, dessa vez o Mercúrio no filme Capitão América: O Soldado Invernal. Ainda em 2014 vive o tenente Ford Brody, em uma nova versão de Godzilla. Em 2015 volta com seu Pietro Maximoff, mais conhecido como o ultraveloz Mercúrio na franquia Os Vingadores: A Era de Ultron. 
                   Ele já teve ótimas atuações em sua carreira, mas para mim seu melhor papel até hoje foi em seu filme mais recente Animais Noturnos, em que interpreta Ray Marcus, um bandido sádico, inconsequente e simplesmente desprezível, que inferniza a vida do personagem de Jake Gyllenhal e sua família. Ele ganhou o Globo de Ouro de Melhor Ator Coadjuvante por ele.
                 É muito provável que o gato tenha uma longa e promissora carreira, afinal ele tem uma combinação irresistível para o cinema: beleza e talento!! Até o próximo Boy Magia. Kisses!!!
               

Psicopatas da Vida Real: Charles Manson

               Este foi um psicopata que se destacou e abalou o mundo no final dos anos 60. Enquanto o movimento hippie estava a todo vapor pelo mundo, pregando a paz e o amor, ele criou uma espécie de comunidade, mas de assassinos. Seu grupo foi responsável pelo assassinato da esposa do diretor de cinema Roman Polanski, Sharon Tate, a qual estava grávida!
               Charles Milles Manson, nasceu em 12/11/1934, em Cincinatti. Desde muito cedo passou pelos reformatórios, passou grande parte de sua vida preso. Sua mãe era viciada em drogas e também vivia presa. Passou por algumas avaliações psiquiátricas, onde foi constatado um Q.I. acima da média. No começo era agressivo nas vezes em que era preso, e chegou a abusar de companheiros de cárcere. Porém, de repente notou-se uma mudança em seu comportamento, e ele se voltou aos estudos.
                Aos dezenove anos saiu da prisão, se casou e no ano seguinte teve um filho. Só conseguia serviços pouco especializados, os quais pagavam pouco. Decidiu então roubar carros também, foi preso novamente. A esposa o deixou. Se tornou cafetão, teve mais algumas passagens pela prisão,deu um golpe em uma mulher e estuprou a colega de quarto dela, voltando mais uma vez para a prisão. Dessa vez quer chamar a atenção, mostra seu lado manipulador. Era obcecado pelos Beatles, tinha um violão e queria ser mais famoso que eles. Começou a falar sobre filosofias como o budismo e a cientologia. Em 1966 é libertado da prisão novamente.
                Fora da prisão teve contato com hippies, e começou a arregimentar pessoas para o seu próprio "movimento": a Família. Tinha muitas garotas perturbadas psicologicamente, era uma época de grandes mudanças na sociedade e ele usava de drogas, especialmente LSD para manter o controle sobre essas pessoas. Pregava o abandono das prisões mentais do capitalismo. Tentou se lançar como cantor, sem sucesso. Em 1968 se mudaram para um rancho, viviam de roubar e restos de comida.
                Manson pregava que iria haver uma guerra racial entre negros e brancos, os negros venceriam, mas não conseguiriam se manter. Nesse ano é lançado o álbum The Beatles, conhecido como o álbum branco, e ele interpretou como um sinal. Ele e a "família" deveriam acelerar o processo dessa guerra, cometendo assassinatos como se fossem os negros. Eles iriam se esconder no deserto e depois voltar para governarem (????)
                Em 09 de agosto de 1969, membros do grupo de Manson invadiram a casa do diretor de cinema Roman Polanski, matando sua esposa grávida de oito meses e mais quatro amigos do casal. As vítimas foram esfaqueadas, baleadas e espancadas. Seu sangue serviu para escrever mensagens sem sentido nas paredes. Na noite seguinte, ainda o mesmo grupo invadiu a casa de Leno e Rosemary LaBianca e matou o casal nos mesmos moldes e escrevendo também nas paredes.
                  Apesar de não estar presente nos assassinatos, foi sua manipulação que levou a estes brutais assassinatos. O objetivo era provocar a guerra, que Manson denominou Helter Skelter, o mesmo nome da música dos Beatles, que segundo ele estava cheia de mensagens subliminares.
                  Aos 37 anos ele foi acusado pelos seis assassinatos, apesar de não estar presente em nenhum deles, o promotor conseguiu provar que seu poder de manipulação foi o que levou a esses crimes tão bárbaros. Foram acusados também os executores Tex Watson, Susan Atkins, Patricia Krenwinkele Leslie Van Houten. Foram sentenciados a morte, mas uma mudança na lei transformou as penas em prisão perpétua. Manson declarou então seu ódio pela humanidade. Aos 83 anos, cumpre pena na Penitenciária Estadual de Corcoran, na Califórnia. Foi internado este ano. Chegou até a arrumar uma noiva muitos anos mais jovem que ele (coisa que foi negada as suas vítimas), a qual defende sua inocência na internet.
                Muitas obras foram inspiradas nele. Em 2003 foi lançado o filme The Manson Family, com o ator Marcelo Gaimes o interpretando. O documentário Charles Manson Superstar foi lançado em 1989. Em 2004 foi lançado o filme Helter Skelter, dirigido por John Gray e com Jeremy Davies como protagonista.
                O mal nem sempre suja as mãos, às vezes ele tem o dom da palavra, e convence pessoas a morrerem e matarem por ele. muitas vidas destruídas por uma alma perturbada....

sábado, 21 de outubro de 2017

Luz, Câmera, Ação: Clint Eastwood

              Ele era conhecido como um dos galãs dos filmes western nos anos 60. Atuou em muitos filmes, mas também tem um grande trabalho como diretor. Vamos conhecer um pouco sobre a vida e obra de Clint Eastwood.
              Clinton Eastwood Jr, nasceu em 31/05/1930, em São Francisco, Califórnia. Também é envolvido em política, chegou a ser prefeito de Carmel-By-The-Sea, também na Califórnia.Trabalhou como atendente em um posto de gasolina, tocou piano em um bar e até foi bombeiro.Sua carreira de ator no cinema começou no final dos anos 50.
                Se destacou mesmo como o "Homem Sem Nome" na trilogia dos dólares, dirigidos por Sergio Leone: Por um punhado de dólares, Por uns dólares a mais e Três Homens em Conflito. Seus papéis geralmente foram de homens durões, sejam bandidos ou policiais.
                 Foi casado duas vezes e tem sete filhos (cinco mulheres e dois homens), incluindo o também ator Scott Eastwood. É proprietário de um clube de golfe, um hotel e um restaurante. É conhecido também por ser defensor dos animais.
                  O primeiro filme que dirigiu foi Perversa Paixão, em 1971. Atuou em grande parte dos filmes que dirigiu. Alguns tiveram um enorme destaque, como o romance As Pontes de Madison, onde atua ao lado de Meryl Streep, um filme simplesmente belíssimo! Sobre Meninos e Lobos também é um excelente drama com um elenco fantástico, que inclui Sean Penn, Tim Robbins e Kevin Bacon.
                    Como não podia faltar em seu currículo, dirigiu alguns faroestes, sendo o mais famoso Os Imperdoáveis, de 1992. Alguns consideram o último grande faroeste da história do cinema.

                   Menina de Ouro, de 2004 também foi um grande sucesso de público e crítica, e traz Hillary Swank como protagonista. Meus filmes preferidos dirigidos por ele são As Cartas de Iwo Jima e A Conquista da Honra, acho simplesmente fantástico mostrar a visão da Segunda Guerra Mundial por dois povos diferentes. Um outro filme seu que adoro é Meia-Noite no Jardim do Bem e do Mal, acho ótima a forma como a história foi contada e o filme tem personagens excelentes e exóticos.
                    Ainda dirigiu outros sucessos como Gran Torino, Invictus, J. Edgar e Sniper Americano. Muitas bandas escreveram músicas inspiradas nele, e a banda Gorillaz lançou uma com seu nome.Ganhou o Oscar de Melhor Diretor por Os Imperdoáveis e Menina de Ouro.  Ele com certeza deixou sua marca em Hollywood e no mundo, e ainda tem muita bala na agulha. Com certeza um dos melhores diretores do seu tempo.
                    FILMOGRAFIA (COMO DIRETOR):

  • Perversa Paixão (1971)
  • O Estranho Sem Nome (1973)
  • Interlúdio de Amor (1973)
  • Escalado Para Morrer (1975)
  • Josey Wales, o Fora da Lei (1976)
  • Rota Suicida (1977)
  • Raposa de Fogo (1982)
  • Impacto Fulminante (1983)
  • O Cavaleiro Solitário (1985)
  • O Destemido Senhor da Guerra (1986)
  • Bird (1987)
  • Coração de Caçador (1990)
  • Os Imperdoáveis (1992)
  • Um Mundo Perfeito (1993)
  • As Pontes de Madison (1995)
  • Poder Absoluto (1997)
  • Meia-Noite no Jardim do Bem e do Mal (1997)
  • Crime Verdadeiro (1999)
  • Cowboys do Espaço (2000)
  • Dívida de Sangue (2002)
  • Sobre Meninos e Lobos (2003)
  • Menina de Ouro (2004)
  • As Cartas de Iwo Jima (2006)
  • A Conquista da Honra (2006)
  • Gran Torino (2008)
  • A Troca (2008)
  • Invictus (2009)
  • Além da Vida (2010)
  • J. Edgar (2011)
  • Jersey Boys: Em Busca da Música (2014)
  • Sniper Americano (2015)
  • Sully- O Herói do Rio Hudson (2016)
  • The 15:17 To Paris (2017)
  • Impossible Odds (2017)

           
     

quarta-feira, 18 de outubro de 2017

Sacrifícios devem fazer parte da vida

                   Não sou uma pessoa que viajou muito em minha vida, fisicamente falando. Já minha mente voa milhares de quilômetros todos os dias...Outro dia estava de bobeira na piscina (nada parecida com uma olímpica, está mais para uma banheira de fibra rs), ouvindo música e viajando longe...De repente uma abelha pousou em meu braço, me assustei e o sacudi, deixando ela cair na água, ela ficou se debatendo e logo iria morrer afogada. Pensei, se salvá-la, ela vai me picar e acabar morrendo da mesma forma, mas estava naqueles dias de sensibilidade mais aflorada em que um comercial de margarina pode te fazer chorar e decidi sacrificar meu braço e tirá-la da água. Para minha surpresa, ela não fez nada, só caminhou pelo meu braço, até que consegui colocá-la na borda. Depois de um tempo, nem me lembrava dela, ela passou fazendo um voo acrobático em minha frente (é, sou um pouco exagerada), mas aquilo me deixou feliz.

                 Mas a questão não é minha história de heroína de abelhas, mas a viagem seguinte que minha mente fez, desencadeada por essa situação. Fiquei pensando no quanto nos sacrificamos de verdade nessa vida por quem quer que seja, e que talvez poderíamos mudar muitos destinos... Não tenho filhos, e muitas vezes observando essa geração, não me anima muito.Não sou mãe por não gostar de crianças, mas porque não achei o parceiro ideal, e acredito que é muito importante para a criança ter os dois em sua vida, sempre que possível. Apesar de não ser mãe, mas tomo a minha como um grande exemplo, ser mãe ou pai, não é dar tudo de bandeja e não preparar os filhos para a vida real.Vemos muitos pais dizendo que trabalham tanto e estão se "sacrificando" por seus filhos, mas não os vejo fazendo os maiores sacrifícios, que é sacrificar um pouco do seu tempo para brincar com ele de verdade, ou contar uma história, ao invés de dar um videogame ou celular em suas mãos, não querem sacrificar o afeto dos filhos. Eu muitas vezes chorei de raiva dos meus pais, mas hoje vejo que tudo que eles me negaram e me cobraram foi para me fortalecer. Eles não querem sacrificar sua paz, evitando ao máximo o confronto, quando muitas vezes ele é simplesmente inevitável. Nunca generalizo nada, mas o que vejo em boa parte são pais relapsos criando uma geração fraca, fútil e melindrosa....
                   A falta de sacrifícios não se encontra só nas relações entre pais e filhos, mas em todas as nossas relações. em uma relação amorosa, seja qual for, ninguém quer ser aquele que cede (eu mesmo já fiz isso muitas vezes, não estou me eximindo da culpa, sou orgulhosa e egoísta e tento trabalhar isso todos os dias), ou um cede totalmente, prolongando uma situação sem futuro. Ou mais uma vez, é mais fácil evitar o conflito e partir pra outra...Nas amizades, queremos sempre que o outro goste e faça o que fazemos. No trabalho, cada um quer fazer sua parte, o outro que acompanhe o ritmo, que se vire com suas tarefas, se for algo comissionado então, pode- se formar uma pequena guerra...
                  Por favor, não me levem a mal, tudo isso serve de grande reflexão para mim também, muitas noites vou dormir pensando no quanto tenho que progredir, e revendo alguns atos que certamente não foram necessários. Sempre dizemos que temos que deixar um planete melhor para as próximas gerações, mas acho que é hora de tentarmos ser melhores todos os dias, darmos melhores exemplos e deixar melhores gerações para este mundo!

sexta-feira, 13 de outubro de 2017

Dica de Filme: O Mordomo da Casa Branca

                                         Ficha Técnica:

Título Original: The Butler
Ano: 2013
Gênero: Drama
Direção: Lee Daniels
Elenco: Forest Whitaker, Oprah Winfrey, John Cusack, Cuba Gooding Jr, Terrence Howard, Lenny Kravitz, James Marsden

               Com a história ao fundo, vemos neste drama de uma forma poética, como era  e ainda é ser negro nos Estados Unidos. O filme conta a história de Cecil Gaines (Forest); na verdade o filme é baseado na vida de Eugene Allen, que foi um mordomo negro na Casa Branca por trinta e quatro anos, porém alguns fatos muito trágicos do filme não fizeram parte da vida de Eugene, felizmente; um garoto que vivia em uma fazenda de algodão na Geórgia, e vê sua mãe ser estuprada e seu pai morto sem nenhuma piedade por um senhor branco.
                A mãe do assassino leva então o garoto para ser um "criado de casa", onde ele aprendeu a servir. Ao ficar mais velho, ele vai para a cidade, passa a trabalhar em um pequeno hotel, depois em um grande hotel, até que vai parar na Casa Branca.
                Cecil é tudo que um mordomo deveria ser, faz o seu trabalho de uma foma impecável, é extremamente discreto e muito dedicado. Em contradição, sua família muitas vezes sofre com isso, pelo pouco tempo que ele tem disponível, e de seus dois filhos, um decide ao entrar para a universidade, lutar pelos direitos civis dos negros.
                   Uma das questões muito legais do filme, é a capacidade de adaptação que o ser humano necessita para viver em sociedade. Cecil precisa fazer seu trabalho, e cada presidente é extremamente diferente do outro.
                   Com certeza, também deve ter sido muito difícil ouvir tanta coisa sobre racismo ocorrendo ao redor do mundo em primeira mão, e não poder esboçar a menor opinião e revolta!!
                   O filme fez bastante sucesso, e a atuação de Forest Whitaker mais uma vez não decepciona. Oprah Winfrey também brilha. Apesar das questões levantadas de haver muitas diferenças entre o personagem e o verdadeiro mordomo, o filme é uma excelente pedida. É um drama contado na medida certa, com algumas pitadas de humor e uma boa dose de realidade. Até a próxima dica!



terça-feira, 3 de outubro de 2017

Grandes Vilões das Telas: Jack Torrance

               Ele não é o típico vilão. Na verdade, no início do filme simpatizamos muito com o personagem e torcemos por seu sucesso. Criado pelo mestre do suspense e terror Stephen King, este é o protagonista de um de seus maiores sucessos: O Iluminado. O vilão é Jack Torrance, imortalizado na tela pelo diretor Stanley Kubrick em 1980, e quem interpretou brilhantemente (sem trocadilhos com o título, que na verdade se refere ao garoto da história) foi Jack Nicholson.
              Jack é um escritor e ex-professor, tendo perdido seu emprego em uma escola preparatória, por conta do alcoolismo. Longe da bebida, ele aceita o emprego de zelador de um hotel, o Overlook, durante o duro inverno do Colorado, e parte para lá com sua família.
              Ele acredita que o isolamento vai aproximá-lo de sua família novamente, seu filho Danny, um telepata sensível as forças sobrenaturais, e sua esposa, a dócil e submissa Wendy. E ele pretende aproveitar toda essa tranquilidade para escrever um livro, o qual ele acredita que será um sucesso.
                Tudo parece ocorrer bem no início, Jack escreve bastante, sua esposa cuida de tarefas rotineiras e seu filho explora o hotel com seu triciclo.... mas as aparências enganam....Com Danny tendo visões assustadoras e inexplicáveis nos quartos, e Jack cada vez mais perdendo a paciência, e se tornando um homem ora apático, ora agressivo.
                    Jack então passa a ser "consumido" pelo hotel., com visões também bizarras, e até uma cena no bar "desativado", onde um gentil garçom o serve e ouve um desabafo sobre seu casamento. Depois, em uma festa a fantasia (lembrem-se que o hotel está vazio!!), o "antigo zelador" lhe diz que ele deve corrigir sua família. Ele então logo explode, e passa a perseguir sua esposa e filho, com um machado, em cenas marcantes e de um suspense frenético!
                    O livro que ele estava escrevendo? Sua esposa ao verificar a máquina de escrever, descobre que são muitas páginas com uma só frase: " Muito trabalho e pouca diversão fazem de Jack um cara bobão", seria mais ou menos a tradução (All work and no play makes Jack a dull boy).
                    O autor do livro em uma entrevista disse que não gostou do filme, nem da interpretação de Nicholson. Mas o público com certeza gostou, o filme se tornou um clássico, e com certeza é apavorante! E o "louco do machado" passou a ser um dos maiores vilões das telas!!! 

quarta-feira, 20 de setembro de 2017

Corrupção Sempre Termina em Morte

            Todos os dias vemos nas notícias do mundo todo, muitos, mas muitos casos de corrupção. Nós brasileiros infelizmente estamos mais por dentro dessa realidade. E sempre me pego pensando, no que termina a corrupção? Em morte....
            Sim morte, seja física, moral, da dignidade....mas o resultado só pode ser esse. Quando uma enorme quantia de dinheiro é desviada de seu propósito, as consequências são catastróficas. São muitas pessoas que morrem porque o sistema de saúde não vai ter como pagar o salário de todos os médicos necessários, vai faltar equipamentos, medicamentos, os servidores irão entrar em greve se não tiverem seus salários pagos em dia, ou para brigar por um reajuste, o qual na maioria das vezes vai ser negado por falta de fundos, porque alguém já pegou esse dinheiro!
             Quando um dinheiro é desviado, vai faltar para a educação, que possibilitaria a formação de novos profissionais de qualidade, que contribuiriam muito para que a "ordem e progresso" não fossem só palavras jogadas em nossa bandeira. É o professor descontente com os baixos salários, é a violência nas escolas. É o adolescente que vai para o crime, que só chega a dois caminhos: morte ou prisão!
            E se tratando do nosso país, não é para pensarmos só em Brasília não! Até as menores cidades tem seus escândalos. A Operação Lava Jato colocou o assunto mais em evidência, mas muito dinheiro já foi e ainda é desviado em todos os níveis de administração!
            Um dos casos mais recentes foi o do ex-ministro Geddel Vieira Lima (do PMDB), o qual foi preso preventivamente por lavagem de dinheiro e organização criminosa. Foi encontrado em um apartamento, o qual o empresário Silvio Antônio Cabral Silveira admitiu ter emprestado ao ex-ministro, a quantia de 51 milhões de reais!! O quanto isso não poderia fazer de coisas boas para o povo??
             Claro que ficamos com raiva dos culpados por todo esse dinheiro desviado, sejam políticos, empresários, civis, policiais, mas eles também já encontraram a morte....Eles não tem alma, não tem dignidade, tem as mãos cheias de sangue....A única coisa que pulsa neles ainda é uma ambição desmedida, que vai com certeza destruir a vida de muitas pessoas honestas e trabalhadoras!


quarta-feira, 13 de setembro de 2017

Vale a Pena Conferir: Polícia Federal: A Lei é Para Todos

                                                Ficha Técnica:
Ano: 2017
Gênero: Policial
Direção: Marcelo Antunez
Elenco: Angelo Calloni, Flávia Alessandra, Marcelo Serrado, Ary Fontoura, João Baldasserini, Rainer Cadete, Bruce Gomlevsky

             Não costumo escrever sobre filmes que ainda estão no cinema, até mesmo porque a correria do dia a dia e a crise econômica não me permitem ir  tanto quanto gostaria assistir os filmes na telona rs. Mas esse filme nacional que estreou no dia da nossa Independência, 07/09, com certeza é um longa que vale a pena assistir.
            Claro que vão existir aqueles que dizem que é filme de coxinhas (gente quando me chamam de coxinha não fico brava, fico é com fome!), propagandista, que demoniza os investigados e exalta os policiais e funcionários do Ministério Público responsáveis pelas investigações e processos. Eu achei um ótimo filme, muito bem produzido, com ótimas atuações e que infelizmente retrata grande parte da nossa realidade...
             O filme traz a história da Operação Lava Jato, desde seu início como parte de outra operação, uma grande investigação de tráfico de drogas, que levou ao doleiro Alberto Youssef, até seus inúmeros desdobramentos, que mostrou um imenso esquema de corrupção, nas mais diversas áreas e com todo tipo de gente envolvida, de traficantes a políticos do alto comando. Mostra também as dificuldades que a polícia e a justiça enfrentam ao bater de frente com poderosos, e muitas vezes presos nos entraves de leis ultrapassadas, que trazem consigo também imensas brechas....
              Todos os atores são ótimos em seus papéis, a equipe da Polícia Federal mostra uma sintonia entre os atores, e como vemos em nosso dia a dia, são pessoas muito diferentes que tem que colocar as diferenças de lado, visando o todo. Entre as figuras ilustres vemos Marcelo Serrado em uma personificação do juiz Sérgio Moro, a mesma fala mansa, os mesmos olhares e gestos.
              Mas para mim, a cereja do bolo, foi o grande ator Ary Fontoura dando vida ao ex-presidente Lula. Uma grande interpretação, mostrando o político e o homem, como duas faces da mesma moeda. Fazia tempo que um filme nacional me cativava desta forma. Recomendo aproveitar o mês da Independência, baixar o lado tupiniquim, e correr para os cinemas para assistir.